theNet by CLOUDFLARE

Redefinir a segurança cibernética com Zero Trust

À medida que a transformação digital ganha impulso nas empresas, surge um imperativo crítico. A proteção do cenário de negócios em constante evolução exige a adoção de tecnologias avançadas projetadas para os tempos de mudança. A mudança contínua no ambiente de negócios tem visto um aumento na dependência de serviços baseados em nuvem, a adoção generalizada do trabalho remoto e a integração de sistemas interconectados. Embora esses avanços reforcem a eficiência e a conectividade, eles também trazem uma maior vulnerabilidade à ameaça cibernética e aos ataques resultantes, devido ao aumento dos dados pessoais e profissionais compartilhados on-line.

Priorizar a segurança cibernética é imperativo para as organizações, independentemente do setor em que operam. Embora o objetivo principal continue sendo a proteção contra ameaças cibernéticas, o escopo da segurança cibernética se estendeu muito além da proteção fundamental. Atualmente, estabelecer uma infraestrutura de segurança robusta não se trata apenas de se defender contra ataques cibernéticos. Ela evoluiu para um investimento estratégico devido ao seu papel fundamental na manutenção da confiança entre as partes interessadas, promovendo uma cultura de inovação e garantindo a resiliência e a longevidade de uma organização. Essa mudança é impulsionada pela necessidade de fortalecer as defesas de segurança cibernética, adaptar-se a um cenário digital em evolução e atender às expectativas cada vez maiores de proteção de dados e continuidade operacional.


Fortalecimento das defesas cibernéticas na era digital

No espaço digital em constante mudança, a ameaça cibernética continua sendo uma preocupação fundamental para as empresas em todo o mundo. Novos avanços tecnológicos, como a IA, não mostram nenhuma indicação de desaceleração no ritmo das ameaças cibernéticas. Isso destaca a urgência de as empresas fortalecerem suas defesas contra as ameaças em evolução.

A ameaça crescente exige investimento contínuo em um conjunto robusto de soluções de segurança cibernética. As rigorosas normas de privacidade de dados e a necessidade de gerenciamento responsável de dados também aumentam a complexidade das operações. O ritmo incessante das mudanças tecnológicas exige que as empresas naveguem pelas complexidades da transformação digital e, ao mesmo tempo, permaneçam competitivas em um mercado globalmente conectado. Os desafios de aquisição e retenção de talentos nas áreas de tecnologia, juntamente com a conformidade com regulamentações diversas e em constante evolução, apresentam obstáculos adicionais. Atender às expectativas cada vez maiores dos clientes em relação a experiências digitais perfeitas, lidar com as interrupções da cadeia de suprimentos e gerenciar o uso ético da tecnologia contribuem ainda mais para os desafios multifacetados que as empresas enfrentam atualmente.

Navegar por essas complexidades exige uma abordagem estratégica para a adoção da tecnologia, com considerações adicionais, como padrões de privacidade, normas de proteção de dados e o uso adequado das informações.



Capacitar as empresas com a tecnologia ZTNA

Em resposta à complexidade e à frequência cada vez maiores das ameaças cibernéticas, as empresas precisam buscar soluções mais eficazes para proteger seus ativos e dados confidenciais, principalmente por meio da implementação de medidas robustas de acesso à rede Zero Trust (ZTNA).

A tecnologia ZTNA enfatiza o princípio de "nunca confie, sempre verifique". Ele foi desenvolvido com base em um modelo de confiança adaptável que evita aceitar a confiança por padrão e permite o acesso com base em políticas específicas e bem ajustadas que concedem os privilégios mínimos necessários. A tecnologia ZTNA fornece um meio seguro para que os usuários remotos se conectem a aplicativos privados sem incorporá-los à rede ou expor esses aplicativos à internet pública.

A segurança Zero Trust é uma estratégia essencial para qualquer empresa que opere no espaço digital. Isso implica uma abordagem abrangente e estratégica de segurança, garantindo que cada indivíduo e dispositivo que busca acesso seja completamente verificado para estabelecer sua verdadeira identidade.

Aqui estão quatro motivos convincentes para adotar o modelo de segurança Zero Trust:

  1. As empresas em evolução não podem confiar na segurança baseada em perímetro: as empresas em evolução deixam de lado os modelos de segurança baseados em perímetro, tornando-os ineficazes. O Zero Trust garante uma verificação meticulosa do acesso em cada ponto da rede, empregando o princípio do "privilégio mínimo". Essa estratégia monitora e valida continuamente as solicitações, limitando os possíveis danos causados por violações por meio da microssegmentação.

  2. Expansão da força de trabalho: a força de trabalho agora inclui vendedores, fornecedores e parceiros, além de funcionários e prestadores de serviços. O Zero Trust permite um controle de acesso preciso e permissões personalizadas para cada usuário individual.

  3. Nem todos os ambientes de trabalho em casa (WFH) podem ser verificados quanto à segurança: A prevalência do trabalho remoto desafia a segurança tradicional que depende de locais fixos. Redes e dispositivos Wi-Fi inseguros aumentam os riscos. Sem um sistema robusto como o Zero Trust, a verificação do ambiente doméstico dos funcionários se tornaria impossível.

  4. As ameaças persistentes avançadas (APTs) estão mais inteligentes: as ameaças cibernéticas modernas vão além do phishing básico. Ameaças sofisticadas, como as APTs, orquestradas por estados-nação e organizações criminosas, escapam das medidas de segurança tradicionais. Uma estrutura Zero Trust torna-se vital para combater essas ameaças de forma eficaz.


Tecnologia Zero Trust: uma tendência fundamental

Até 2025, 60% das empresas usarão soluções Zero Trust em vez de redes privadas virtuais. Essa é a previsão do relatório Zero Trust Architecture and Solutions da Gartner do ano passado.

Investir em uma infraestrutura robusta de ZTNA é agora imperativo para as empresas. Não se trata apenas de uma atualização tecnológica, mas de um movimento estratégico para fortalecer as defesas contra ameaças cibernéticas sofisticadas. O modelo de segurança adaptável do ZTNA se alinha ao cenário de ameaças em evolução, fornecendo uma proteção que as soluções tradicionais baseadas em perímetro não conseguem oferecer.

Ao adotar o ZTNA, as empresas podem fortalecer sua postura de segurança cibernética, garantindo acesso seguro e controlado a recursos essenciais e, ao mesmo tempo, mitigando riscos e fortalecendo suas defesas contra ameaças cibernéticas em evolução.

Este artigo é parte de uma série sobre as tendências e os assuntos mais recentes que influenciam os tomadores de decisões de tecnologia hoje em dia.

Este artigo foi originalmente produzido para a CIO Influence


Saiba mais sobre esse assunto

Saiba mais sobre o Zero Trust e comece a planejar um roteiro para sua organização com o guia completo, A roadmap to Zero Trust architecture.
Get the guide!



Principais conclusões

Após ler este artigo, você entenderá:

  • Como o escopo da segurança cibernética se ampliou muito além da proteção fundamental

  • Por que o modelo de segurança Zero Trust é mais adequado para ajudar as organizações a lidar com a complexidade da TI

  • Previsão da Gartner de que, até 2025, 60% das empresas usarão soluções Zero Trust em vez de VPNs


Recursos relacionados


Receba um resumo mensal das informações mais populares da internet.