O que é SIEM (gerenciamento de eventos e informações de segurança)?

As soluções de SIEM (gerenciamento de eventos e informações de segurança) coletam registros, detectam ameaças e ajudam a garantir a conformidade da segurança.

Objetivos de aprendizado

Após ler este artigo, você será capaz de:

  • O que é SIEM
  • Quais são os principais componentes de segurança do SIEM?
  • Como funciona a tecnologia SIEM

Copiar o link do artigo

O que é SIEM?

Um sistema de gerenciamento de eventos e informações de segurança (SIEM) combina o gerenciamento de informações de segurança (SIM) e o gerenciamento de eventos de segurança (SEM) em uma solução de segurança abrangente para detectar ameaças e garantir a conformidade. Para detalhar melhor, um SIM coleta, analisa e gerencia dados de logs e eventos de sistemas ou aplicativos host, e um SEM se concentra no monitoramento e na análise de eventos de segurança em tempo real.

Como funciona a tecnologia SIEM?

A tecnologia SIEM funciona coletando dados (ou logs), como credenciais de login, arquivos acessados ou sites visitados dos sistemas host e dos aplicativos da organização e, em seguida, reunindo todos os logs e verificando se há algum padrão estranho ou sinais de um incidente de segurança. Cada vez mais, os SIEMs estão aproveitando a IA como analistas automatizados que agrupam e priorizam incidentes.

Se um incidente de segurança for detectado, o sistema SIEM enviará um alerta para a equipe de segurança. A equipe de segurança usará as ferramentas do sistema SIEM para investigar mais a fundo.

Quais são os principais componentes de uma segurança SIEM?

Há vários componentes em um sistema de segurança SIEM baseado em nuvem. As partes principais são:

  1. Armazenamento em nuvem, coleta e ingestão de dados: é aqui que os dados sobre o ambiente digital são coletados, normalizados em um formato consistente para análise e armazenados, incluindo tentativas de login, alterações de arquivos e tráfego de rede.
  2. Análise e detecção: o Analytics Engine analisa os dados normalizados e os combina com a análise de comportamento de usuário e entidade (UEBA) para identificar padrões suspeitos.
  3. Painéis, alertas e relatórios: em um sistema SIEM baseado em nuvem, os painéis mostram o que o Analytics Engine detectou. As equipes de segurança recebem alertas e notificações se algo suspeito for detectado. Os SIEMs também podem evitar alertas de falsos positivos. Por exemplo, se um usuário estiver redefinindo sua senha repetidamente, um SIEM pode identificar e distinguir isso de um ataque. Em outras palavras, um SIEM separa as distrações dos incidentes que mais precisam de atenção.
  4. Resposta a incidentes: as ferramentas de resposta a incidentes são projetadas para responder a incidentes e garantir a conformidade regulamentar.

Como as organizações podem se beneficiar da integração do SIEM?

As organizações se beneficiam da integração do SIEM em seus sistemas e ferramentas existentes ao:

  1. Melhorar a postura de segurança por meio da detecção precoce de ameaças e do recebimento de alertas imediatos e em tempo real quando algo incomum é detectado.
  2. Aplicar o gerenciamento proativo de riscos, identificando vulnerabilidades e priorizando ameaças.
  3. Atender aos requisitos regulamentares (como RGPD e HIPAA) e manter trilhas de auditoria detalhadas.
  4. Centralizar a visibilidade de incidentes suspeitos em um único painel, incluindo a possibilidade de análise de tendências e resolução mais rápida de incidentes.

Como a Cloudflare se integra aos sistemas SIEM?

O Network Analytics Logs da Cloudflare se integra aos painéis de controle do SIEM, permitindo visibilidade máxima do tráfego nas camadas 3/4 e dos ataques DDoS. E, com o serviço Log Push da Cloudflare, os usuários podem configurar a exportação automática de logs do Zero Trust para destinos de armazenamento de terceiros ou ferramentas SIEM, ajudando a manter um sistema de detecção de ameaças abrangente e contínuo e facilitando a demonstração de conformidade aos órgãos reguladores.