O que é uma VPN?

Uma rede privada virtual (VPN) permite que um usuário acesse remotamente uma rede privada para fins de privacidade e segurança.

Objetivos de aprendizado

Após ler este artigo, você será capaz de:

  • Defina rede privada virtual
  • Descreva alguns casos de uso das VPNs
  • Aborde os aspectos negativos de uma VPN

Copiar o link do artigo

O que é uma VPN?

Uma rede privada virtual (VPN) é um serviço de segurança da internet que permite que os usuários acessem a internet como se estivessem conectados a uma rede privada. Isso criptografa as comunicações na internet, além de proporcionar um forte grau de anonimato. Alguns dos motivos mais comuns pelos quais as pessoas usam as VPNs incluem a proteção contra espionagem em WiFi público, para contornar a censura da internet ou para se conectar à rede interna de uma empresa para fins de trabalho remoto.

indefinido

Como funciona uma VPN?

Normalmente, a maior parte do tráfego da internet não é criptografada e é bastante pública. Quando um usuário cria uma conexão com a internet, como visitar um site em um navegador, o dispositivo do usuário se conectará ao seu provedor de serviços de internet (ISP) e em seguida, o provedor se conectará à internet para encontrar o servidor web apropriado com o qual se comunicar para buscar o site solicitado.

As informações sobre o usuário são expostas em cada etapa da solicitação do site. Como o endereço de IP do usuário é exposto durante todo o processo, o provedor e qualquer outro intermediário pode manter registros dos hábitos de navegação do usuário. Além disso, o fluxo de dados entre o dispositivo do usuário e o servidor web não é criptografado; isso cria oportunidades para atores maliciosos espionarem os dados ou perpetrarem ataques ao usuário, tais como um ataque on-path .

Por outro lado, um usuário conectado à internet por meio de um serviço de VPN tem um nível mais alto de segurança e privacidade. Uma conexão VPN envolve os quatro passos a seguir:

  1. O cliente VPN* se conecta ao provedor usando uma conexão criptografada.
  2. O provedor conecta o cliente VPN ao servidor de VPN, mantendo a conexão criptografada.
  3. O servidor de VPN descriptografa os dados do dispositivo do usuário e depois se conecta à internet para acessar o servidor web em uma comunicação não criptografada.
  4. O servidor de VPN cria uma conexão criptografada com o cliente, conhecida como "túnel VPN".

O túnel VPN entre o cliente VPN e o servidor de VPN passa pelo provedor, mas como todos os dados são criptografados, o provedor não pode ver a atividade do usuário. As comunicações do servidor de VPN com a internet não são criptografadas, mas os servidores web irão apenas registrar o endereço de IP do servidor de VPN, o que não dá a eles acesso a nenhuma informação sobre o usuário.

*O cliente VPN é o software de VPN instalado no dispositivo do usuário.

Uma VPN se destina apenas a pessoas com algo a esconder?

Como ocorre com outros serviços de privacidade da internet, as VPNs às vezes são categorizadas como ferramentas para atividades ilegais ou subversivas. A verdade é que existem várias razões válidas e legítimas para usar uma VPN. Aqui estão algumas das mais comuns:

  • Proteção para WiFi público - Os usuários que entram em redes WiFi públicas sem uma VPN estão se colocando em risco. Seu tráfego da internet não está criptografado e outros usuários na mesma rede podem monitorar sua atividade usando ferramentas que podem ser facilmente acessadas. Essa é uma forma comum de os invasores roubarem credenciais de login e outras informações sensíveis. Se um usuário estiver conectado por meio de uma VPN, um invasor espião só poderá ver dados criptografados, que não revelarão nenhuma informação sensível.
  • Trabalho remoto - Muitas empresas permitem que seus funcionários trabalhem remotamente usando uma VPN. Isso pode permitir que o funcionário remoto tenha acesso à rede interna da empresa, além de oferecer criptografia para proteger a empresa contra invasores ou espionagem.
  • Liberdade contra a censura em estados opressores - Em algumas partes do mundo, é proibido expressar ou mesmo ler opiniões críticas em relação ao governo. Muitos desses lugares também fornecem a seus cidadãos uma versão restrita da internet que bloqueia quantidades significativas de domínios. As pessoas que acessam a internet nesses locais podem usar uma VPN para acessar o conteúdo que seu governo deseja bloquear, bem como falar livremente on-line, uma vez que a criptografia de VPN protege sua atividade contra a vigilância do estado.
  • Anonimato da localização - Alguns serviços web restringirão ou filtrarão o conteúdo com base na localização do usuário. É possível usar uma VPN para tornar anônima a localização de um usuário e contornar essas restrições.
  • O direito à privacidade on-line - Os provedores são conhecidos por venderem os dados privados de seus usuários. Da mesma forma, alguns sites venderão informações sobre seus visitantes. A privacidade oferecida pelos serviços de VPN permite aos consumidores optar por não ter seus dados coletados.

Quais são as desvantagens de uma VPN?

Um serviço de VPN não garante um nível maior de segurança; os usuários só podem se sentir seguros com uma VPN se confiarem no provedor da VPN. Um provedor de VPN desonesto poderia vender as informações de seus usuários ou deixá-los expostos a ataques. Também vale a pena notar que a maioria dos serviços de VPN tem um custo mensal constante. Alguns usuários de VPN também podem ter problemas com o desempenho.

De que forma uma VPN afeta o desempenho?

Alguns usuários experimentarão uma deterioração do desempenho de uma VPN e isso depende em grande parte de qual serviço de VPN está sendo utilizado. Nem todas as VPNs são criadas da mesma forma e se um serviço de VPN não tiver capacidade de servidor para lidar com a carga criada por seus usuários, esses usuários experimentarão uma desaceleração em sua conexão com a internet. Além disso, se uma VPN estiver localizada a uma grande distância tanto do usuário quanto do servidor web que eles estão tentando acessar, o tempo de viagem resultante pode criar latência. Por exemplo, se um usuário em São Francisco está acessando um site cujos servidores também estão em São Francisco, mas o serviço de VPN desse usuário está localizado em Tóquio, a solicitação do usuário terá que viajar metade do mundo e voltar antes de conectar-se a um servidor a apenas alguns quilômetros de distância. Isto às vezes é chamado de "efeito trombone".